Interior cresce na preferência das marcas e atrai redes de franquias

Presidente Prudente, São José do Rio Preto, Jundiaí, Piracicaba, Mogi das Cruzes, Taubaté, Santos e Indaiatuba se destacam pelo número de unidades franqueadas que possuem

As redes de franquias seguem avançando rumo ao interior do Brasil. É o que demonstra o mais recente estudo da ABF – Associação Brasileira de Franchising, sobre a presença do setor nos municípios e dos movimentos do franchising nas 20 maiores cidades do estado de São Paulo em número de marcas e unidades.

No último ano, um levantamento da ABF apontou que, na comparação entre o primeiro semestre de 2017 e 2018, a exemplo do que vem ocorrendo no País, o movimento de interiorização das franquias pelo Estado prossegue, tanto quanto à abertura de unidades como em relação à chegada das redes nos diversos municípios paulistas.

Segundo a entidade, em 2019 o setor de franquias faturou R$ 41.464 bilhões de reais nesse primeiro trimestre, um aumento de 7% em comparação ao mesmo período do ano anterior. Em termos de expansão de unidades de franquias, o crescimento foi de 3,7% no mesmo período.

Nascida na capital paulista e, agora, totalmente voltada para o interior, a Dídio Pizza começou sua expansão no interior pelas cidades de Campinas, Jundiaí, São Bernardo, Santo André, São Caetano, Osasco e Valinhos. “Essas são cidades em que estamos consolidados. Só em Campinas, possuímos

quatro unidades!”, comenta Elidio Biazini, fundador e diretor da rede. Na mira da rede de pizzarias delivery estão as cidades de Mogi das Cruzes, Americana, Sorocaba Limeira, Piracicaba, Paulínia, São José dos Campos, Guarulhos e Santos.

“O sucesso nas unidades que já possuímos no interior de São Paulo nos mostra que podemos expandir em outras cidades. Neste ano, conseguimos reduzir o valor do investimento inicial de R$ 310 mil para R$265 mil graças ao trabalho constante de modernização da rede e otimização de custos. Estamos preparados para entregar lojas novas em 45 dias e com um faturamento mensal estimado em R$ 67 mil”, completa Biazini.

O Instituto Gourmet, é a maior rede de franquias especializadas em cursos profissionalizantes na área da gastronomia. Criado para os amantes da

culinária, o instituto oferece opções de cursos de curta ou longa duração, com flexibilidade nos horários e foco na interação do aluno. Em 2017, a rede ingressou no franchising fechando o ano de 2018 com um faturamento de mais de R$ 14 milhões de reais e já conta com mais de 50 unidades comercializadas pelo Brasil.

Para Robson Fejoli, sócio da rede, o interior de São Paulo “possuí força e um potencial incrível para quem deseja ter seu próprio negócio”. O Instituto Gourmet já possui unidades em Jundiaí, Campinas e em breve inaugurará em Piracicaba, São Sebastião e Sorocaba. Na mira da rede, uma das principais cidades onde buscam franqueados é Santos, na baixada Santista. Para se abrir uma unidade do Instituto Gourmet o investimento inicial

começa em R$250 mil e o retorno é estimando entre 18 e 24 meses após a inauguração.

Outros dados que indicam que as franquias rumam cada vez mais para o interior do País estão relacionados aos shoppings. Segundo a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), 78% das inaugurações desses centros comerciais entre 2017 e o primeiro semestre de 2018 foram em cidades que não são capitais; e 61,1% dessas aberturas ocorreram nas regiões Centro-Oeste, Nordeste e Norte.

 

Mais detalhes sobre as cidades pesquisadas

A cidade com maior crescimento em número de unidades de franquias foi Presidente Prudente, com variação de 13%, registrando 237 operações no período analisado. Localizado a 558 km da Capital, o município possui uma população estimada em mais de 227 mil habitantes (IBGE 2018). A renda per capita era superior a R$30 mil em 2015 e o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) de 0.806 (Censo 2010) é considerado alto. Em segundo lugar destacam-se São José do Rio Preto, com 602 unidades, e Jundiaí, com 507, ambas com 12% de crescimento. Piracicaba (377 unidades), Mogi das Cruzes (282) e Taubaté (249) ocupam a terceira posição, com variação de 11%. Ainda na casa de dois dígitos de crescimento, destacam-se em quarto lugar a litorânea Santos (518) e Indaiatuba (241), com 10%.