Cases de sucesso das franquias Bluefit

 

Conheça a histórias de dois Master Franqueados de sucesso da Bluefit

A Bluefit inaugurou em 2015 na cidade de Santo André, São Paulo, com o propósito de acabar com as desculpas para não treinar e se tornar a rede com o melhor custo benefício do mercado.

A rede conta com equipamentos modernos, estrutura de ponta, equipe treinada, horário de atendimento estendido e grade de aulas com mais de 30 modalidades como danças, lutas, ginástica.

Já presente em 13 estados brasileiros e no Distrito Federal, a academia possui mais de 100 unidades operando e 30 em construção.

Conheça os cases de sucessos de dois Master Franqueados Bluefit: Sérgio Arnout e Gustavo Madeira!


História dos Franqueados Bluefit

 

Sérgio Arnout está no ramo fitness desde 1985, com experiência na implantação de diversas academias de marcas concorrentes e até franquias do segmento de roupas. Sérgio busca por excelência na arquitetura e espaços, oferecendo comodidade e experiências acima da média para seus alunos.

Gustavo Madeira abriu sua academia familiar aos 15 anos. Com vastas qualificações no setor, se formou em Educação Física e tem MBAs em Fisiologia, Marketing e Gestão e Liderança Organizacional. Usa seu conhecimento técnico como personal e experiência com sua empresa de treinamentos corporativos para construir o ambiente ideal para seus alunos e colaboradores. 

A primeira franquia Bluefit

 

Durante um passeio no Parque Vila Lobos, em São Paulo, Sérgio se depara com uma aula experimental da Bluefit. Buscando mais informações na internet, entra em contato com a marca e oferece para abrir sua primeira franquia. O que encanta o franqueado é por ser uma low-cost com bastantes serviços, funcionamento 24h, aulas de ginásticas e lutas inclusas no valor, e até modalidade funcional.

Seu primeiro ponto foi em Osasco, onde ainda funciona uma das maiores academias da rede Bluefit, que chegou a bater mais de 5.000 alunos. Apesar da queda da pandemia, hoje já está com 4.000 alunos novamente nessa unidade.

Gustavo já tinha trabalhado como personal em diversas academias de Goiás e estava liderando sua empresa de treinamentos corporativos, mas ainda não tinha tido grandes resultados com a sua primeira academia familiar. Ouviu falar da Bluefit por um consultor de academias e foi a uma inauguração em São Caetano, “fiquei boquiaberto”.

Rapidamente aprendeu o conceito da Bluefit, “que é ter o melhor atendimento em massa possível”. Retrofitou a sua academia de 23 anos e a unidade que nunca tinha passado de 2.000 alunos, em 3 meses de Bluefit, chegou a 3.500.

O sucesso do franqueado na Bluefit

 

Quando indagado sobre estratégias que levaram ao sucesso, Sérgio conta que não economiza nos investimentos dos seus projetos, “tudo tem valor”. Apesar dos investimentos mais altos em número de equipamentos e espaços, garante que o seu retorno é mais rápido.

Também confia no seu feeling, após 36 anos de experiência, acredita na importância de acrescentar seu instinto às pesquisas de mercado na definição de pontos.

Gustavo diz que já operava a academia da porta para dentro com maestria. A gestão de pessoas, gestão de professores e entregas de serviços já eram feitas, mas o modelo de negócios não estava encaixado, e a partir da rede tudo começou a fluir.

“A gente faz uma gestão muito estruturada, de indicadores, de planilha, de gestão de pessoas, de definição de organograma”. Os primeiros colaboradores da empresa são hoje o Diretor de Implantação e Diretor de Operações, “isso é reflexo da minha experiência da empresa que eu tinha de gestão de pessoas e treinamento, eu aplico esses conceitos, então a gente consegue ter um time muito engajado.”

Como o suporte da Bluefit auxiliou no processo

 

Sérgio destaca um experimento que participou com a marca Bluefit em uma de suas academias. Comprou uma academia low-cost concorrente que não teve sucesso e decidiu implantar a bandeira Bluefit no mesmo ponto.

“A marca é muito forte”, hoje, tem o dobro de alunos da antiga academia, “um sucesso absoluto”. Isso se deve ao trabalho de branding e marketing da Bluefit, além da oferta de muitos serviços pelo mesmo valor de uma low-cost.

Também revela o apoio da marca durante a pandemia, em que ficou 6 meses parado, mas se manteve de pé “É uma bela empresa de franquias”.

Gustavo diz que a marca auxiliou muito nas implantações e com o conceito do produto. Como sua primeira unidade foi um retrofit, o manual muito bem elaborado da marca e exposição, além suporte da rede para o franqueado foram fundamentais.

“Nossas academias têm os melhores equipamentos, são climatizadas, têm uma estrutura física muito boa, têm estacionamento, têm pé direito alto, têm arquitetura bonita, têm a oferta de aula, é 24h, enfim, é muito melhor que as melhores academias da cidade.”

Próximos passos do franqueado Bluefit
 

Sérgio tem atualmente 6 franquias Bluefit, todas na Grande São Paulo e Capital. Está com o 7º e 8º projetos já em implantação. Um deles será no Shopping Continental, onde afirma ter aberto a primeira academia dentro de um shopping center no Brasil “estou voltando para casa”.

A ideia é ter 12 academias até o ano que vem, contando com o apoio de amigos e investidores, “é um bom negócio para mim e para eles também”.

Gustavo abriu uma empresa com um fundo de investimentos para entregar a velocidade de abertura de lojas de um Master Franqueado. Ele tem hoje 6 academias em Goiás e implementando a 7ª, totalizando 20.000 alunos em todas as lojas.

“Democratizar o fitness é um formato que muda muito mais a vida das pessoas do que a gente achava que mudava com o modelo tradicional”. Até o ano que vem, pretende chegar em 12 ou 14 lojas, com planos de expandir para Campo Grande e Palmas.

Dicas para novos franqueados Bluefit

 

Sérgio garante que com o investimento adequado e a definição de um bom ponto, o retorno vem com facilidade. Diz que a faixa etária dos seus alunos vem crescendo “hoje atendo dos 12 até os 80 e poucos anos” e a low-cost com aulas atrai o público feminino “eu tenho praticamente meio a meio”.

Também destaca que ano que vem o segmento “vai estourar”. Conhecendo todas as marcas grandes de academia low-cost comenta que “igual a Bluefit, eu nunca vi”.

Gustavo acredita que o mercado low-cost do fitness tem grandes oportunidades, “só que não é passe de mágica, você como franqueado precisa fazer a sua parte”. Ele destaca a importância do conhecimento de mercado, marketing e gestão de pessoas.

“A rede já dá um suporte para o franqueado bom. Definir os melhores pontos, definir layouts, relação com o fornecedor, isso tudo a rede ai te ajudar, mas se você não fizer a sua parte, não vai cair do céu”.

Quer se tornar o próximo case de sucesso? Confira como ser um franqueado Bluefit aqui!